Assaltante é assassinado dentro do ônibus

No  nício da tarde desta segunda-feira (27), um assaltante foi assassinado dentro de um coletivo da linha Cohatrac IV.

O assaltante estava acompanhado de um comparsa. Eles anunciaram o assalto próximo ao Anil. Um passageiro que estava no interior do veículo estava armado e reagiu atirando contra um dos meliantes, que morreu no local. O outro bandido tentou fugir, mas foi capturado por populares.

O corpo ainda encontra-se dentro do ônibus aguardando o Instituto Médico legal (IML).

Suspeitos de latrocínio são mortos em confronto com a polícia

No domingo  (26) Iranilson Costa e Gerson Coelho estavam  aterrorizando pelas proximidades da Galeria da Difusora, na Camboa. Uma viatura do Choque foi mobilizada e ao chegar ao local os dois indivíduos evadiram-se e começaram a trocar tiros com os policiais. A polícia revidou  e iniciou-se um tiroteio, onde os dois acusados foram alvejados e encaminhados para o Socorrão I, porém não resistiram aos ferimentos e faleceram já no hospital.

Com os meliantes foram apreendidas duas armas de fogo, sendo uma pistola calibre  9 mm e um revólver calibre 38.

Ambos são suspeitos de envolvimento no latrocínio que vitimou 0 universitário Rafael Costa Leite, estudante de Odontologia na Faculdade Florence, na Rua Rio Branco, em abril de 2015.

Na defesa da vida e na denúncia contra a tortura

O vice-prefeito de São Luís, professor Julio Pinheiro, defende o respeito aos direitos humanos em roda de conversa sobre tortura e a violência, um tributo ao artista popular Gerô, assassinado brutalmente pela polícia em 2007. A roda de conversa foi seguida de show de artistas populares denunciando a violação do direito mais importante do ser humano: a vida. Foi no Centro de Criatividade Odilo Costa Filho, dia 22 de março, Dia Estadual de Combate à Tortura e dia que marca a brutalidade policial contra Jeremias Pereira, o negro Gerô, espancado até a morte após ser preso e confundido com um assaltante.

Diretor esclarece denúncia de “Operações suspeitas” na Câmara de São Luís


Em respeito aos vereadores, servidores e cidadãos ludovicenses, o diretor geral da Câmara Municipal de São Luís, Itamilson Corrêa Lima, esclarece denúncia publicada no blog Maldine Vieira, na quinta-feira(23). “Instituto fundado por diretor da CMSL é agraciado na gestão Astro de Ogum” foi o título usado pelo blogueiro para denunciar “operações” suspeitas no legislativo municipal.

É oportuno ressaltar, que muito embora o texto abaixo tenha sido enviado ao titular do blog, tomando por base o que assevera o art. 5º, V da Constituição Federal c/c art. 1º da Lei 13.188/015, transcorrido mais de 19h, o Direito de Resposta não fora publicado. Sendo assim, urge a necessidade que sejam esclarecidas das informações.

A verdade dos fatos

Apesar do desprezo que tenho por determinados indivíduos e pelas suas condutas ou “modus operandi”, nesse momento, sinto-me obrigado a responder publicamente a duas postagens de um tal de Maldine Vieira, o qual, após o envio de alguns recados pelo seu pai, Marcelo Vieira, pedindo uma sinecura na Câmara Municipal para o filho, resolveu atacar-me maldosa e desonestamente, utilizando a covardia e veniaga encontrada como modo de sobrevivência.  Por outro lado, preciso externar o meu respeito por todos os profissionais responsáveis e comprometidos com a verdade, que utilizam espaços impressos ou eletrônicos para bem informar ou promover reflexões inteligentes.

Incialmente é necessário ressaltar que o contrato atacado na postagem não é secreto e nem  fruto das “operações” insinuadas pelo blogueiro, uma vez que, no prazo devido, foi encaminhado  ao órgão fiscalizador das contas da Câmara Municipal de São Luís para apreciação e julgamento.

Sentir falta na matéria de aprofundamento acerca do objeto contratado e sobre sua não execução, o que faria da notícia uma verdadeira denúncia de surrupio do dinheiro público. No entanto o texto se ateve a questões formais que não correspondem à realidade, apenas, com o intuito óbvio de comprometer a mim e ao presidente da Casa.

A falta de assinatura, meu caro, não versa sobre o contrato original, que se encontra disponível para apreciação em caso de dúvida. O que aconteceu foi que o escaneamento do processo para envio ao TCE que se deu por meio de uma de suas vias, a qual inobservadamente não estava ainda toda assinada. Erro formal que não invalida, nem é capaz de desonrar a contratação.

Visando promover a continuidade do serviço público, os técnicos da gestão atual começaram a trabalhar nos últimos meses da gestão anterior. Isso é regulado, na esfera federal, pela Lei de nº 10.609/02. Desse modo, a solicitação de contratação de empresa para promover o Levantamento e Recadastramento do corpo funcional foi realmente no primeiro dia oficial do mandato, porém não no primeiro dia de trabalho da equipe.  A contratação foi feita respeitando as regras públicas presentes na Lei 8.666. O trabalho foi devidamente executado, diversas matérias foram produzidas, na época, pelos variados veículos de comunicação do estado. Relatório de conclusão entregue e, conforme já mencionado, encaminhado ao Tribunal de Contas para apreciação e julgamento. Portanto, estamos tranquilos e conscientes de que não há “operação” nenhuma em nossa gestão. Outro ponto delicado e pernicioso da trama rasa de vocábulos mal escrita pelo “menino” é quando afirma que demonstrará a minha relação com o Instituto Lógica e pensa que o faz afirmando que sou o fundador da entidade. De fato, sou um dos fundadores do Instituto, inclusive, fui escolhido, na época, para presidir a entidade nos seus quatro primeiros anos.

No entanto, próximo de findar o meu mandato, que, aliás, renunciei faltando quase 1 ano para o término, em razão de ter sido chamado para desenvolver atividade incompatível, não quis a reeleição. A partir daí, caro Maldine, não fiz mais parte da entidade, em nenhum cargo de sua diretoria. Por conseguinte, essa relação propagada por você desapareceu, lá em 2011, quando abrir mão da presidência.

Não negarei que por conhecer a entidade, a idoneidade e responsabilidade de seus gestores, sempre que sou indagado sobre alguma entidade sem fins lucrativos, o indico sim, assim fiz na ocasião, mas em nada influenciei para a sua contratação. A sua escolha, que, aliás, foi a única desde 2015 até a presente data, atendeu aos princípios e regras de contratação exigidos pela administração pública.

Por fim, coloco-me a disposição dos órgãos fiscalizadores e de controle, bem como a administração maior da Augusta Casa onde trabalho, para quaisquer esclarecimentos acerca dos fatos, e aproveito para aclarar ao blogueiro que “as demais operações”, bem como o documento exclusivo provando que sou “dono” e beneficiado direto do Instituto, assim propagado,  com o simples propósito de me caluniar, deverá ser apresentado à justiça, haja vista que o ônus da prova cabe a quem acusa.

Ah! Ia esquecendo, quanto ao emprego, diga para seu pai pedir ao presidente. Só ele tem esse poder…!

Itamilson Corrêa Lima

Diretor Administrativo da CMSL

Diretor esclarece denunciar de “Operações suspeitas” na câmara de São Luís

Diretor da Câmara, Itamilson Correia Lima, com o presidente Astro de Ogum

Em respeito aos vereadores, servidores e cidadãos ludovicenses, o diretor geral da Câmara Municipal de São Luís, Itamilson Corrêa Lima, esclarece denúncia publicada no blog Maldine Vieira, na quinta-feira(23). “Instituto fundado por diretor da CMSL é agraciado na gestão Astro de Ogum” foi o título usado pelo blogueiro para denunciar “operações” suspeitas no legislativo municipal.

É oportuno ressaltar, que muito embora o texto abaixo tenha sido enviado ao titular do blog, tomando por base o que assevera o art. 5º, V da Constituição Federal c/c art. 1º da Lei 13.188/015, transcorrido mais de 19h, o Direito de Resposta não fora publicado. Sendo assim, urge a necessidade que sejam esclarecidas das informações.

A verdade dos fatos

Apesar do desprezo que tenho por determinados indivíduos e pelas suas condutas ou “modus operandi”, nesse momento, sinto-me obrigado a responder publicamente a duas postagens de um tal de Maldine Vieira, o qual, após o envio de alguns recados pelo seu pai, Marcelo Vieira, pedindo uma sinecura na Câmara Municipal para o filho, resolveu atacar-me maldosa e desonestamente, utilizando a covardia e veniaga encontrada como modo de sobrevivência.  Por outro lado, preciso externar o meu respeito por todos os profissionais responsáveis e comprometidos com a verdade, que utilizam espaços impressos ou eletrônicos para bem informar ou promover reflexões inteligentes.

Incialmente é necessário ressaltar que o contrato atacado na postagem não é secreto e nem  fruto das “operações” insinuadas pelo blogueiro, uma vez que, no prazo devido, foi encaminhado  ao órgão fiscalizador das contas da Câmara Municipal de São Luís para apreciação e julgamento.

Sentir falta na matéria de aprofundamento acerca do objeto contratado e sobre sua não execução, o que faria da notícia uma verdadeira denúncia de surrupio do dinheiro público. No entanto o texto se ateve a questões formais que não correspondem à realidade, apenas, com o intuito óbvio de comprometer a mim e ao presidente da Casa.

A falta de assinatura, meu caro, não versa sobre o contrato original, que se encontra disponível para apreciação em caso de dúvida. O que aconteceu foi que o escaneamento do processo para envio ao TCE que se deu por meio de uma de suas vias, a qual inobservadamente não estava ainda toda assinada. Erro formal que não invalida, nem é capaz de desonrar a contratação.

Visando promover a continuidade do serviço público, os técnicos da gestão atual começaram a trabalhar nos últimos meses da gestão anterior. Isso é regulado, na esfera federal, pela Lei de nº 10.609/02. Desse modo, a solicitação de contratação de empresa para promover o Levantamento e Recadastramento do corpo funcional foi realmente no primeiro dia oficial do mandato, porém não no primeiro dia de trabalho da equipe.  A contratação foi feita respeitando as regras públicas presentes na Lei 8.666. O trabalho foi devidamente executado, diversas matérias foram produzidas, na época, pelos variados veículos de comunicação do estado. Relatório de conclusão entregue e, conforme já mencionado, encaminhado ao Tribunal de Contas para apreciação e julgamento. Portanto, estamos tranquilos e conscientes de que não há “operação” nenhuma em nossa gestão. Outro ponto delicado e pernicioso da trama rasa de vocábulos mal escrita pelo “menino” é quando afirma que demonstrará a minha relação com o Instituto Lógica e pensa que o faz afirmando que sou o fundador da entidade. De fato, sou um dos fundadores do Instituto, inclusive, fui escolhido, na época, para presidir a entidade nos seus quatro primeiros anos.

No entanto, próximo de findar o meu mandato, que, aliás, renunciei faltando quase 1 ano para o término, em razão de ter sido chamado para desenvolver atividade incompatível, não quis a reeleição. A partir daí, caro Maldine, não fiz mais parte da entidade, em nenhum cargo de sua diretoria. Por conseguinte, essa relação propagada por você desapareceu, lá em 2011, quando abrir mão da presidência.

Não negarei que por conhecer a entidade, a idoneidade e responsabilidade de seus gestores, sempre que sou indagado sobre alguma entidade sem fins lucrativos, o indico sim, assim fiz na ocasião, mas em nada influenciei para a sua contratação. A sua escolha, que, aliás, foi a única desde 2015 até a presente data, atendeu aos princípios e regras de contratação exigidos pela administração pública.

Por fim, coloco-me a disposição dos órgãos fiscalizadores e de controle, bem como a administração maior da Augusta Casa onde trabalho, para quaisquer esclarecimentos acerca dos fatos, e aproveito para aclarar ao blogueiro que “as demais operações”, bem como o documento exclusivo provando que sou “dono” e beneficiado direto do Instituto, assim propagado,  com o simples propósito de me caluniar, deverá ser apresentado à justiça, haja vista que o ônus da prova cabe a quem acusa.

Ah! Ia esquecendo, quanto ao emprego, diga para seu pai pedir ao presidente. Só ele tem esse poder…!

Itamilson Corrêa Lima

Diretor Administrativo da CMSL

​Sedel promove curso de capacitação nos municípios de Paulino Neves, Tuntum e Porto Rico


A Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel) promove, de 23 a 25 de março, o curso de Iniciação Esportiva nos municípios de Paulino Neves, regional lençóis; Tuntum, centro; e Porto Rico, localizado na baixada maranhense. A capacitação faz parte do projeto de qualificação de professores que vão participar da 45ª edição dos Jogos Escolares Maranhenses – JEM’s 2017.

No município de Paulino Neves, que participará pela primeira vez dos JEM’s, serão capacitados 40 professores. Presentes ao curso estão também os municípios convidados: Barreirinhas, Tutoia, Humberto de Campo e Santo Amaro, que participam com o total de 23 profissionais do esporte. Ministrado pelo diretor geral dos JEM’s, professor Sandow Feques, o curso atende às modalidades de atletismo, basquetebol, futsal, voleibol, futebol e handebol, nos três dias na região dos lençóis maranhenses.

Durante o curso, os professores de Educação Física da rede pública e particular de ensino, que atuam no processo de ensino e aprendizagem de esporte, recebem aulas práticas e teóricas sobre Treinamento de Jovens Atletas, Fundamentos Técnicos de Iniciação à Tática, dentro de cada modalidade ofertada.

 “Para melhorar a performance dos estudantes nos JEM’s, realizamos esse curso que contribuiu de forma relevante na capacitação dos gestores esportivos envolvidos com as modalidades esportivas, pois esses profissionais têm um papel fundamental no processo de planejamento e operação de seus atletas nas competições”, disse Sandow.

NA DEFESA DA VIDA E NA DENÚNCIA CONTRA A TORTURA


O vice-prefeito de São Luís, professor Julio Pinheiro, defende o respeito aos direitos humanos em roda de conversa sobre tortura e a violência, um tributo ao artista popular Gerô, assassinado brutalmente pela polícia em 2007. A roda de conversa foi seguida de show de artistas populares denunciando a violação do direito mais importante do ser humano: a vida. Foi no Centro de Criatividade Odilo Costa Filho, dia 22 de março, Dia Estadual de Combate à Tortura e dia que marca a brutalidade policial contra Jeremias Pereira, o negro Gerô, espancado até a morte após ser preso e confundido com um assaltante.